Como suas postagens, em redes sociais, revelam sua vida pessoal.

0
476
  • A Internet na casa de Fernando tornou-se tão instável a ponto de parar de funcionar. No apartamento da frente, Lúcia estava assistindo a um vídeo de culinária quando a reprodução cessou.

Após reiniciar seu aparelho, restou a ela sair e perguntar ao vizinho se ele sabia o que estava acontecendo.

Coincidentemente, Fernando pensou a mesma coisa.

– Oi! Disse ela.

– Oi – respondeu ele – a internet parou de funcionar aí também?

– Sim!

– Acho que vou ligar para os responsáveis, espero que eles nos auxiliem, preciso muito seguir minhas tarefas. Explicou Fernando.

– Entendo, hoje tem episódio novo daquela série que você gosta, né? Como se chama?

– ” Grandes Reis”, mas como você sabe disso? Perguntou Fernando, intrigado.

– Somos amigos na rede social, também sei que você gosta de Jota Quest, aliás, foi no show deles que você ficou noivo.

– Estou abismado, mas também sei algumas coisas sobre você.

– Quais?

– Você sofre de ansiedade há dois anos, desde que seu pai faleceu. Vi você seguir páginas e aderir grupos de conversas on-lines sobre tricô e culinárias. Aliás, o último cachecol que você fez ficou lindo.

– Obrigada – disse Lúcia com a testa úmida de suor – Sinto muito pelo fim de seu casamento. Observei que você curtiu a página “maridos traídos” e bloqueou todos os seus padrinhos.

– Eu lamento por você ter dificuldades de gestação, mas acredito que aquele grupo que você aderiu não é muito bom. Posso indicar outro.

– Sério? Também acho que a ajuda que você procura para parar de fumar não é das melhores, não se pode confiar num grupo chamado ” nicotinão”. Disse ela provocando risos entre ambos.

– Você tem razão. Também posso lhe ajudar com a perda de peso. “Cada vez menos grande” não é um bom nome de perfil também. Saiba que muitas daquelas fotos têm efeitos. Disse ele.

– Obrigada. Vou anotar suas dicas.

Lúcia retornou ao apartamento, mas antes de virar a maçaneta, chamou.

– Hei. Observei que você confirmou presença em dois eventos simultâneos. Ou você bebe cerveja ou toma uísque. E no domingo você tem que pedalar com sua crush Amélia.

Fernando deu um leve sorriso.

– Marquei presença nos dois eventos porque ainda não sei a qual irei. E minha pedalada acabou de ser cancelada.

– Que pena. Disse Lúcia abrindo a porta para retornar ao seu lar.

– Antes de entrar – falou Fernando – preciso dizer que seu risoto não fica bom por causa da qualidade do arroz. Vi que você perguntou isso numa enquete e por acaso eu também sigo aquela página.

– Então, que tipo de arroz eu uso?

– Um arroz italiano que só é vendido por encomenda. Posso lhe ajudar com isso, se quiser.

– Aceito sua ajuda, mas antes preciso saber se você gosta tanto mesmo de Clarice Lispector. Seu “like” está em todas as postagens. É sério ou é para agradar alguém?

– Amo Clarice – respondeu Fernando – E todos aqueles discos do “Queen” existem mesmo ou você montou uma foto?

– Quer ver a coleção? Perguntou Lúcia.

– Sim, claro. Respondeu Fernando, eufórico.

– Só entra na minha casa se trouxer as cervejas artesanais que vi você comprar hoje pela manhã. Você é viciado em stories, né?

Fernando entrou em seu apartamento e pegou seis unidades da cerveja artesanal que Lúcia havia citado.

– Você tem copo decente pra tomar cerveja ou só aquelas taças mostradas na sua foto de reveilon? Perguntou ele.

– Entre logo. Disse ela sorrindo.

Lúcia, enquanto Fernando enchia os copos, pegou um DVD do filme “táxi” de Martin Scorsese, estrelado por Robert De Niro.

– Esse é o meu preferido. Disse ele.

– Na verdade você tem mais dez filmes preferidos. Eu observei que em cada página acessada, você diz: “meu preferido”. Comentou ela, sorrindo discretamente.

– E você faz isso com novelas.

– Pelo menos eu não entrei numa discussão de mais cem linhas na página do BBB.

– Aquilo foi um erro. Então, hoje é sábado, sei que nesse dia você gosta de comer pizza, quando pode. Citou Fernando enquanto acessava o menu do filme.

– E você faz sopa de legumes e prova vinhos que chegam do seu clube da Internet. Disse Lúcia servindo a cerveja.

– Posso abrir uma exceção.

– Antes de decidirmos isso, eu preciso fazer mais uma pergunta.

– Faça.

– Por que curtiu a página de viagens e logo em seguida uma outra com fotos lindas de uma cidade na Europa?

– Às vezes, é preciso mudar os ares.

– Tem razão. Disse ela.

– E você vai mesmo tomar café com aquele cara que conheceu no badoo? Perguntou oferecendo um brinde.

– Isso não tinha como você saber.

– Tinha sim, ele curtiu todas as suas fotos e numa delas, que você está tomando café, ele pôs um relógio. É só juntar as peças.

– Acho que não irei mais depois dessa. Então, vamos beber?

Ambos bateram os copos, deram risada, a internet foi restabelecida e uma dúvida surgiu.

– Vamos registrar esse momento? Perguntou Fernando.

– Mas e como será? Perguntou Lúcia.

– Será o quê?

– Quem vai postar?

– Isso não importa, meu coração diz que o seu melhor não aparece na rede social.

– E nem o pior, de manhã cedo eu tenho um super mal hálito. Disse ela rindo alto.

– Sem problemas, eu espero você escovar para lhe dar o beijo de bom dia.

Lúcia sorriu:

– Não acredito que você usou a mesma frase que escreveu para aquela mulher que curtiu seu comentário na página do Fabricio Carpinejar. Francamente.

Fernando ficou sem graça, tomou a cerveja e saiu. Lúcia acompanhou-o até a porta.

– Não esqueça de mandar o nome do arroz pefeito para o risoto.

– Eu envio sim – disse ele – com ares de profundo arrependimento.

Lúcia bateu a porta, deu risada e pensou:

– Aff! Obrigado, Carpinejar.