Executivo Municipal de São Sepé divulga ações de ajuda para atingidos das enchentes

0
343

As chuvas que atingiram o Estado no início deste mês também deixaram rastros de destruição aqui no município. A cheia do rio São Sepé desalojou 76 famílias, num total de 215 pessoas, de acordo com os dados divulgados nesta semana pelo Centro de Referência em Assistência Social (CRAS).

Os números revelam ainda que nos bairros mais atingidos pela enchente, a maioria dos moradores teve perda total dos seus móveis. No São Cristóvão, foram 38 casas atingidas totalizando 109 pessoas afetadas. Já no Cristo Rei, 32 residências foram invadidas pelas águas, com 100 pessoas tendo que deixar suas moradias enquanto a cheia do rio persistia. Outras duas localidades também foram afetadas em duas casas, com seis pessoas desabrigadas.

De acordo com a Defesa Civil, todos os desabrigados foram levados para locais seguros. A escola Gabriel Brenner, no bairro Cristo Rei serviu de abrigo durante uma semana. O ginásio de esportes recebeu moradores do bairro São Cristóvão. Outros optaram por se abrigar em casas de familiares e amigos, mas sempre com monitoramento dos órgãos responsáveis.

 

A enchente não destruiu apenas os móveis dos sepeenses, mas os sonhos e uma história de vida. Cada casa alagada no São Cristóvão, bairro mais afetado, abrigava memórias de pessoas que moram no local há muitos anos. Com as perdas incalculáveis, a Defesa Civil do município montou uma força tarefa para ajudar de forma imediata os desabrigados.

Até o dia 11 de maio, o órgão informou que foram distribuídos 305 kits de alimentos, 266 kits de roupas, 182 cobertores, 21 colchões, 246 caixas fechadas de leite, 71 kits de calçados, 35 kits de fraldas para crianças, 93 kits de higiene e outros 46 de limpeza. Todo esse material distribuído às famílias atingidas pela enchente foram doados pela comunidade em campanhas de arrecadação. A Defesa Civil recebeu ainda televisões, camas, berços, fogões, geladeiras e utensílios domésticos. Todas as pessoas foram devidamente cadastradas pelo órgão e o CRAS e receberão a assistência necessária enquanto estiveram em fase de reconstrução de suas casas.

Além disso, o CRAS distribuiu 658 cestas básicas para as famílias cadastradas no CADÚnico e para pessoas que sofreram prejuízos com a chuva no município e não puderam trabalhar ou exercer suas atividades.