Morre o presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho

0
575

Faleceu na madrugada deste sábado, aos 67 anos, o presidente do MTG, Manoelito Carlos Savaris. Natural de Casca/RS, mas aquerenciado em Caxias do Sul, Savaris era oficial da Reserva da Brigada Militar e bacharel em História. Estava à frente do Movimento Tradicionalista Gaúcho em seu 9º mandado (2001/2003 (3), 2005/2006(2), 2014/2015(2), 2021/2022(1) e 2023).

Savaris foi patrão do CTG Heróis Farroupilhas e do CTG Campo dos Bugres, ambos de Caxias do Sul, coordenou a 25ª RT em 1996 e 1997; foi vice-presidente de Administração do MTG, em 1999 e 2000 ao lado de Jayr Lima. Presidiu o já extinto Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (IGTF), de 2007 a 2010; e foi presidente da Confederação Brasileira de Tradição Gaúcha (CBTG), em 2012 e 2013. Escritor, pesquisador e historiador, é autor de vários livros, entre eles “Rio Grande do Sul: história e Identidade” e “Manual de Tradicionalismo Gaúcho”, ambos publicados pelo MTG.

Liderança incontestável, sempre chamou para si as grandes responsabilidades e decisões, independentemente do tipo de pressão que exercesse, buscando sempre resolver as questões dentro dos regulamentos em vigor. Savaris deixa a esposa, Odila Paese Savaris, três filhos, Tiago, Tomás e Alina, e quatro netos.

As grandes mudanças

Quando assumiu o MTG, na vice-presidência em 1999, na gestão de Jayr Lima, Savaris organizou uma forma de reunir toda legislação tradicionalista num único livro: a primeira Coletânea de Legislação Tradicionalista, elaborada em 1999. Também foi dele reorganização e funcionamento da Fundação Cultural Gaúcha em 1999, 2000 e 2001, deixando de ser somente uma loja itinerante, para tornar-se o verdadeiro braço dinâmico do MTG. A Fundação passou a firmar parcerias, contratos e convênios para ajudar a federação em seu desenvolvimento, participando de centenas de atividades que envolveram, até mesmo, o cinema gaúcho. As mudanças ocorridas na semana farroupilha e nos grandes eventos do estado, tiveram a logotipia e as ações da FCG presentes.

Neste mesmo período, Savaris transformou o ato de acendimento anual da Chama Crioula em evento importante, respeitado e querido. O Primeiro evento no modelo que o conhecemos atualmente, foi em 2001, na cidade de Guaíba. Em sua gestão foi feita a organização e publicação do livro de partituras das músicas para as danças tradicionais, em 2001, do CD – duplo das músicas das danças tradicionais, hinos e costados e a criação do jornal Eco da Tradição, em no mesmo ano. Transformação da data de aniversário do MTG em evento importante, com comemoração adequada, inclusive com entrega de medalhas e comendas.

O aniversário começou a ser comemorado em 2001, por ocasião do 35º aniversário que reuniu até mesmo Luiz Carlos Barbosa Lessa e Cyro Dutra Ferreira. As comemorações foram realizadas em Santa Maria, inclusive com fandango no CTG Ponche Verde. Em 2002 idealizou o livro de Danças Tradicionais, reunindo instrutores e envolvidos a muitos anos com o tema para elaborar uma obra que levasse a assinatura do MTG.

Também no ano de 2002 foi criada a Medalha do Mérito Tradicionalista L. C. Barbosa Lessa e a reorganizada a Comenda João de Barro. Surge neste ano, também, a Lista Destaque Tradicionalista. Naquele ano o Deputado Estadual Osmar Severo apresentou e aprovou a Lei Estadual dos Rodeios, Lei nº 11.719/ 2002, proposta pelo MTG.

O ano de 2003 foi marcado pela criação do Departamento de Narradores, criação do Protocolo e Cerimonial do MTG, publicado em livro. Também foi elaborado um livro do MTG a respeito da indumentária gauchesca, o que se concretizou com a participação de quatro pesquisadoras. E finalmente, a unificação dos concursos estaduais de prendas e peões, na fase regional, com a mesma prova aplicada no mesmo dia em todas as 30 RTs. Neste mesmo ano, por contingências do momento surgem o SAT (Seminário de Aprimoramento Tradicionalista) e o CFor (Curso de Formação Tradicionalista) e foi criado o Cartão de Identidade Tradicionalista.

Em 2005 foi a vez de organizar e publicar o DVD educativo para a execução de todas as danças tradicionais constantes na lei, proposta e aprovada (Lei estadual 12.372/ 2005) reconhecendo as danças tradicionais como Patrimônio Cultural Imaterial do Rio Grande do Sul, por proposta do Deputado Estadual Osmar Severo, a pedido do Presidente do MTG. Foi feito neste ano, a fixação oficial das marcas do MTG, e dos eventos por ele elaborados, com aprovação da identidade visual.

No ano de 2005, ainda, foi adquirido o prédio que serve de sede para a Fundação Cultural Gaúcha, duplicando o patrimônio físico do MTG. No ano seguinte elaborou o Projeto de construção de um prédio anexo, da FCG, para servir de sede para a biblioteca e museu do MTG, financiado parcialmente pelo Ministério da Cultura com patrocino da Schincariol.

Completando, na sua terceira passagem pela presidência, nos anos de 2014 e 2015, marcou pela criação do Festival Gaúcho de Danças, FEGADAN, em 2014 e a criação do Fundo Especial Garantidor, para financiar a participação do MTG nos próximos eventos nacionais, da CBTG, e por último, a separação dos esportes e da campeira, com a criação do Encontro Estadual de Esportes Campeiros – ENECAMP, cuja 1ª realização será no ano de 2016.

Semana Farroupilha

Sem dúvida nenhuma o maior evento do estado do Rio Grande do Sul. Acontece em todos os municípios, é uma atividade espontânea do povo gaúcho. Em Porto Alegre realizava-se um acampamento que nasceu espontaneamente, no Parque da Harmonia. No princípio servia para área de pouso aos que iriam desfilar no dia 20 de setembro. Tanto o acampamento como o desfile careciam de melhor estrutura e com segurança adequada.

A partir de 1999, quando a Fundação Cultural Gaúcha passou a gerir, em parceria com a 1ªRT, o Acampamento Farroupilha, o evento recebeu outro status. Grandes empresas passaram a investir na semana farroupilha, não só em Porto Alegre, mas em outras cidades. Porto Alegre eliminou as lonas, passaram a montar galpões de costaneira e outros tipos de materiais. E de 1999 em diante o evento foi outro.

Com o advento da inclusão da tematização em 2003, do patrono em 2005, incluíram-se os projetos culturais do Parque da Harmonia, tirando de vez a estigma de lugar feito somente para festas, bailes e bebida. O Acampamento Farroupilha de Porto Alegre recebeu o status de evento cultural e turístico. Savaris dedicou-se por 17 anos à tarefa de transformar os Festejos Farroupilhas de Porto Alegre no maior evento da Capital e no maior evento popular do Estado, recebendo mais de um milhão de pessoas anualmente.

CBTG e IGTF

Manoelito Carlos Savaris foi presidente da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha de 2012 a 2013. Mas, enquanto presidente do MTG, do Rio Grande do Sul, levou a federação à cinco Rodeios Nacionais, promovidos pela Confederação (Brasília em 2001, Sorriso-MT em 2003, Santiago-RS em 2005, Piratuba-SC em 2015 e, mesmo sem recursos, Criciúma-SC em 2021) – com todas as despesas pagas pelo MTG. Quando foi assumir o MTG em 2007 recebeu o convite da Governadora Yeda Crusius para assumir a presidência da Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, até 2010 (Extinto em 2017).