Mulher é morta em suposto ritual religioso interior de Formigueiro

0
10711

Na madrugada deste sábado, dia 10, a Brigada Militar foi informada sobre a possível morte de uma mulher, que estaria fazendo parte de um “ritual religioso”, no cemitério localizado na Colônia Antão Faria, interior de Formigueiro.

Durante o deslocamento até a localidade, a guarnição se deparou com um veículo que deslocava em sentido contrário. Abordado o veículo, constataram que em seu interior estava sendo conduzido a vítima já sem vida para o hospital.

A guarnição acompanhou o veículo e no hospital foi confirmado o óbito pelo médico de plantão.

Segundo apurado, o marido e o filho da vitima, de 57 anos, identificadas com Zilda Correa Bitencourt, procuraram os “Pais de Santo” para fazer um ritual porque, segundo eles, a vítima sofria há mais de 20 anos com duas entidades que incorporavam nela.

No ritual a vítima teria sido torturada, sendo agredida fisicamente com socos, tapas, pisões na cabeça, golpeada com varas verdes em diversas partes do seu corpo, tendo sua cabeça lançada contra o solo por diversas vezes e que, por fim, foi levada e amarrada em uma cruz no cemitério daquela localidade.

A Brigada Militar deu voz de prisão aos quatro “Pais de Santo”, três homens e uma mulher, por homicídio doloso qualificado (tortura com resultado morte) e apresentou os presos na Delegacia de Polícia de Formigueiro, onde foi lavrado o Auto de Prisão em Flagrante. Também foram apresentados na Delegacia o marido e o filho da vitima.

Fonte: Brigada Militar.

Fotos: Fernando Ramos. Formigueiro Real.

Marcas de sangue no local. Foto Fernando Ramos.

Polícia esteve no local coletando provas. Foto Fernando Ramos.

Cemitério localizado na Colônia Antão Faria. Foto Fernando Ramos. Formigueiro Real.

Ocorrência foi atendida pela Brigada Militar e encaminhada para a Polícia Civil.

Cemitério da Colônia Antão Faria em Formigueiro. Foto: Fernando Ramos/ Formigueiro Real.