O Pepeto do Dudu: Sérgio da Silva Almeida

0
431

Há uma frase sobre filhos que diz: “Você foi o melhor presente que seus pais já ganharam. O segundo você pode dar”.

Eu me lembrei dela no domingo, após ver a emoção de um amigo por seu filho ter lhe dado um baita presente de Dia dos Pais.

A imprensa gaúcha publicou o feito: “Pepeto, do Santa Cruz, pelo segundo ano seguido conquista o acesso. O jogador havia sido campeão com o Esportivo na Série B 2022”.

Jamerson Eduardo, o Pepeto, é filho do ex-atleta Jaime Eduardo, o Dudu, e neto do também ex-boleiro Sérgio Augusto, que jogou na base do Internacional, no Esportivo, no Santa Cruz e no Cachoeira FC, décadas atrás. E ao comentar com o Dudu que o futebol parece estar no sangue da família ele, rindo, me contou: “A primeira vez que o Pepeto, com três anos de idade, chutou uma bola, meu pai olhou para mim e profetizou, abrindo um sorriso de orelha a orelha: ‘Rapaz, tu não joga nada, mas esse vai dar bom. Olha como bate na bola…’”.

O que o Pepeto não sabe é que, indiretamente, o avô e o pai dele me influenciaram na escolha do nome do meu primeiro filho. Foi numa tarde ensolarada de domingo, eu estava em pé, escorado no alambrado do Estádio Joaquim Vidal, em Cachoeira do Sul, assistindo a uma partida de futebol onde o Dudu estava “comendo a bola” – expressão do dicionário “futebolês” usada quando o jogador está jogando bem – quando ouvi um torcedor ao meu lado perguntar: “Alguém sabe quem é o pai do Dudu?”. Outro, de pronto, respondeu: “É o Dudu do Sérgio Augusto!”. Na hora, pensei: “O Dudu é filho do Sérgio!? Quando eu tiver filho vou escolher um nome parecido com o meu para que os torcedores, de cara, digam: ‘ele é filho do Sérgio Almeida”‘. Anos depois, nasceu meu primogênito e coloquei-lhe o nome de Sergi.

Mas o apelido “Pepeto”, de onde vem? Dudu me explicou: “Quando ele estava aprendendo a dar seus primeiros passos, eu o chamava: ‘Vem pepeto do pai, vem pepeto do pai’… e o apelido acabou pegando”. Então, parabéns ao “Pepeto do Dudu”.