Prefeitura de São Sepé realiza ação contra Leishmaniose Visceral Canina

0
202

A Leishmaniose Visceral Canina é uma doença grave, causada pelo protozoário Leishmania chagasi, que é transmitido através da picada de um inseto chamado flebotomíneo (Lutzomyia longipalpis), popularmente conhecido por mosquito-palha e que pode atingir pessoas e animais, principalmente o cão.

O mosquito-palha se contamina picando um cão infectado e posteriormente uma pessoa. Não há transmissão direta entre pessoas e pessoas e cães.

Para combater a doença, no mês de fevereiro, a Vigilância Sanitária e Ambiental realizou em São Sepé, a instalação e o monitoramento de armadilhas para o vetor da LVC. A equipe da Vigilância Sanitária, também coletou amostras de sangue de alguns cães nascidos no município, para investigação de transmissão local.

Como identificar casos suspeitos?

Para as pessoas: em caso de febre persistente, aumento de baço e fígado buscar o serviço de saúde mais próximo de sua residência, principalmente se esteve em uma área onde a doença esteja ocorrendo.

Para os cães: em caso de emagrecimento progressivo, feridas e descamações de pele, queda anormal de pelos, aparecimento de ínguas, crescimento anormal de unhas, inchaço de pernas, sangramento de nariz ou de outras aberturas, entre outros sintomas, busque a Vigilância Municipal.

Como prevenir?

Vigiar a população de cães, controlar a proliferação do inseto vetor e evitar que ele pique as pessoas. Essas ações são tanto de proteção individual como de manejo do ambiente.

Informações: Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal. Por Camila Fogliarini.