Quin Tal Pensar: Sérgio da Silva Almeida – crônica.

0
334

Já aconteceu com você de perguntar a outra pessoa o que ela está fazendo tão concentrada e ela responder que está pensando?

Na verdade, na maioria das vezes, não é pensando, e sim tendo pensamentos, o que é diferente. Ter pensamentos é o que acontece conosco o tempo todo. Segundo estudos, são cerca de 6 mil pensamentos (intrusos e invasores) que fluem naturalmente e sem controle em nossa cabeça durante o dia e nem sequer paramos para analisá-los.

O dicionário define pensar como submeter (algo) ao processo de raciocínio lógico; exercer a capacidade de julgamento, dedução ou concepção. Quando colocamos a cachola para funcionar, deixamos de simplesmente ter pensamentos. Como aconteceu dias atrás quando, após ouvir um homem “culpando” São Pedro pelas enchentes, sorri e rebati: “Mas quem fazia chover antes de Pedro existir?”. Acho que vi uma fumacinha saindo da cabeça dele.

Com o propósito de “abrir a cabeça para um universo de possibilidades”, meu amigo César Roos, de Cachoeira do Sul, lançou o canal Quin Tal Pensar no YouTube. “Será um espaço para o pensamento, para as vivências do dia a dia”, contou. E explicou: “Toda semana um tema é proposto, sem respostas nem soluções prontas”.

Como bem sabemos, a tecnologia, que tanto facilita nossa vida, tem deixado nosso cérebro acomodado (ou preguiçoso?). Eu gosto de brincar com a gurizada: “Quantos lados tem a bola?”. E depois de ouvir “chutes” e “Bah, tio! Pergunta difícil.”, respondo: “Dois: o lado de dentro e o lado de fora”. E mais: quando pergunto a um cristão: “Você já pensou na hipótese de Lázaro, irmão de Marta e Maria, que foi ressuscitado por Jesus, ser uma criança? Ou que os discípulos no caminho de Emaús se tratavam de um casal, Cleopas e Maria?”, noto que muitos preferem não colocar um ponto de interrogação naquilo que acreditam.

Eu, após me inscrever no canal, perguntei ao César de onde surgiu o nome Quin Tal Pensar. E achei a ideia criativa: “O nome é um trocadilho com a frase ‘Que tal pensar?’, e como quintal é um espaço aberto…”.