São crianças: Nilton Moreira

0
310

“Você me diz que seus pais não entendem; mas você não entende seus pais; você culpa seus pais por tudo; Isso é absurdo; são crianças como você; o que você vai ser; quando você crescer”.

Esta reflexão faz parte da música de banda conceituada e vem apropriada também para os dias de hoje onde as conturbações e conflitos familiares envolvendo pais e filhos, que sempre existiram, continuam pertinente.
Nos perguntou uma mãe se era normal a filha dizer que não gostava dela e que no momento possível iria embora de casa. Respondemos que levasse o diálogo ao natural, pois não era raro, visto que o lar é o palco onde se desenrolam embates.

É onde se reúnem espíritos que já conviveram em vidas anteriores e se reencontram para aparar arestas.
Hoje com o avanço da drogadição a violência aumenta nos ambientes familiar e o confronto do passado somando-se a ansiedades causa empasses até fatais.
De fato o Poeta tem razão quando diz que os pais também são crianças, pois às vezes o espírito do pai ou mãe é mais novo que do filho, e isso faz com que este tenha argumentos que podem não ser entendidos.

Os pais não são donos dos filhos. Servem apenas de instrumento para que eles venham ao mundo para cumprirem sua trajetória.

Devem ser ajudados no limite possível, pois surgirá o momento que baterão asas e não devem ser seguros, pois seríamos um entrave para eles.
Não sabemos o que aconteceu em vidas passadas para que a animosidade agora aflore, e Deus coloca um véu na mente de todos exatamente para possibilitar o entendimento.
Procuremos todos na prece rogativa possibilidade de entendimento. Chico Xavier dizia: “quando uma mãe faz uma prece pelo filho, ela arromba as portas do céu”. Busquemos o amparo da espiritualidade para que possamos ser portadores de boas atitudes e exemplos para nossos filhos, pois certamente assim estaremos cumprindo esse objetivo aqui na Terra.